06. Sep 2019 | Finanças

Como calcular o preço de venda para produtos e serviços

Uma questão comum para novos empresários é como calcular o preço de venda dos seus produtos e serviços: por onde começar? Explicamos neste artigo!

Como calcular o preço de venda
A forma como define o preço dos produtos pode ser a diferença entre o sucesso – ou o fracasso – do seu negócio. (© Pexels)

A forma mais simples de definir o preço de um produto é o chamado “cost-plus”. Faça simplesmente o cálculo total de todos os custos de produção de uma unidade do seu produto ou serviço, incluindo neste todos os materiais diretos e mão-de-obra necessários para criar o produto. Caso não seja fabricante, como é o caso dos revendedores, inclua apenas o valor pago pelo produto. Determinar o custo dos serviços é um pouco complexo. Para tal, necessita de analisar a sua rotina de serviço e os custos incorridos no percurso. Deve incluir uma margem no custo do serviço para determinar o preço apropriado.

Como calcular o “cost-plus”?

Antes de pensarmos numa fórmula de cálculo, é necessário relembrarmos alguns conceitos, nomeadamente:

  • Custos: tudo o que incide e afeta diretamente no preço de aquisição e/ou produção de um produto;
  • Despesas: obrigação que a empresa tem de efetuar determinado(s) pagamento(s), no imediato ou num momento futuro;
  • Preço do produto ou serviço: valor monetário expresso numericamente, associado a um produto/serviço;
  • Margem de Lucro: preço de venda – custo das mercadorias vendidas.

Assim, o preço a cobrar pelo produto expressa-se da seguinte forma:

Custo de fabrico ou de aquisição + custo de armazenamento, distribuição ou transporte + despesas indiretas + margem de lucro = Preço a cobrar pelo produto

No caso de um casaco de malha, artesanal, com custos de componentes e de mão-de-obra de 100€ somando-se o custo das despesas indiretas (renda e impostos) de 100€ e uma margem de lucro de 20% das despesas (100€ x 20% = 20€) resulta no preço de venda de 220€ (200€ + 20€).

Calcular o preço de venda de um produto é um processo muito parecido com o cálculo do preço de venda de um serviço, sendo que, neste caso, deve ajustar a fórmula para incluir, além dos anteriores, o número de horas do serviço e o valor cobrado por hora.

Valor da hora x número de horas + custos/despesas + margem de lucro

Preço e etiqueta

Comece a partir da margem bruta que a sua empresa precisa para cobrir as despesas gerais e o lucro. Margem bruta é a parte componente de um preço acima do seu custo de aquisição ou de produção. Escolher uma percentagem de margem de lucro bruta é um juízo: não existe uma fórmula certa para todas as situações. Ao invés, deve avaliar as necessidades do seu negócio, os seus clientes e a sua concorrência.

A sua empresa deve ser capaz de gerar lucro bruto suficiente para cobrir as despesas gerais. Estime quanto do seu lucro deve ser alocado por cada unidade vendida com base no seu volume de vendas unitárias esperado para calcular a margem bruta mínima exigida. As características dos clientes que habitam a sua área de mercado afetam as suas escolhas de compra. Conheça os seus clientes e avalie as suas expectativas e necessidades. Os preços que os seus concorrentes definem para bens e serviços semelhantes aos seus delimitam o valor que pode cobrar. Um dos segredos para o sucesso do negócio é determinar corretamente o preço dos seus produtos, criando a base para um negócio com condições para prosperar.

[xyz-ihs snippet=”Gratis-Testen-PT”]

Em primeiro lugar, deve ter o seu objetivo principal sempre presente: você quer ganhar dinheiro – foi esse o motivo pelo qual iniciou a sua atividade. Lucrar equivale a gerar receita vendendo os seus produtos, de forma a que possa não só comportar custos/despesas, mas também obter lucro.

A maior ilusão em que muitos trabalhadores independentes incorrem é crer que o preço é o único fator que estimula as vendas, quando na verdade o que mais importa é a sua capacidade de vender. Isto significa, na prática, contratar os vendedores certos e escolher a estratégia de vendas adequada.

Definir um preço demasiado baixo para os seus produtos pode ter um impacto bastante negativo, mesmo que acredite que é essa a estratégia correta a adotar quando a economia está em baixo. Tentar incutir ao comprador que o seu produto é a opção menos dispendiosa contando aumentar o volume de vendas pode transmiti-lhes apenas a noção que o seu produto é “barato”. Tenha em conta que os consumidores têm a expectativa de receber qualidade de acordo com o preço, e a maior parte dos mesmos não desenvolve apetência pela escolha de um vendedor que acreditam valer menos. Reduzir preços por si não gera lucro pelo produto e não é do seu interesse a longo prazo: necessita de ter muito cuidado para cobrir totalmente os seus custos ao avaliar os produtos.

Definir um preço demasiado alto para os seus produtos pode ser igualmente prejudicial, já que o comprador está sempre atento aos preços da concorrência. É certo que quando inicia o seu negócio acredita que têm que cobrir todas as suas despesas, mas para os clientes existe algo chamado um preço justo. Não lhe deve ser difícil pôr-se do outro lado, pois você também é um consumidor.

Regras e princípios

É imperativo que realize pesquisa de mercado, de alguma forma, para ter a noção de quem é o seu cliente. Esse tipo de pesquisa pode ir desde pesquisas informais da sua lista de clientes a projetos mais extensos levados a cabo por terceiros. Se não tem a possibilidade de investigar o mercado, pode simplesmente analisar o mercado de consumo em três segmentos: orçamento restrito, conveniência e aqueles para quem o estatuto é importante. Seguidamente, procure entender o seu segmento que deseja visar e defina o preço em conformidade.

Uma das regras essenciais da determinação do preço é a necessidade de poder cobrir os custos e, seguidamente, ter em conta o lucro. Assim, necessita de saber quanto custa o seu produto. Também deve ter a perceção da fasquia em que coloca o seu produto e quanto precisa de vender para obter lucro. Lembre-se de um produto pode custar mais que o item em si, pois inclui custos indiretos. Custos indiretos podem contemplar custos fixos, tais como como o aluguer, e custos variáveis, tais como taxas de expedição ou de armazenamento. Deve incluir todos estes aquando do planeamento do custo real do seu produto.

Deve ser inflexível no que diz respeito ao seu negócio, particularmente no que concerne à gestão do preço dos seus produtos. Tenha em mente: a forma como define o preço dos produtos pode ser a diferença entre o sucesso – ou o fracasso – do seu negócio.

Leia também: 

Billomat folgen: